Secretário faz palestra sobre saúde mental na ESP-MG

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) realizou ontem (21) o quinto e último evento da série “Encontros ESP-MG 2013 Supervisão Clínica e Institucional em Saúde Mental” com o tema “Supervisão, Clínica e instituição”.

O secretário de estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, ministrou palestra sobre a rede de saúde mental no estado. “Temos a primeira rede de saúde mental reconhecida pelo Ministério da Saúde. É preciso reforçar que as prioridades de saúde mental também devem emanar do quadro epidemiológico”, declara. Segundo o secretário, é necessário perceber o encadeamento da saúde no processo de gestão de governança. “Tivemos três grandes movimentos: a passagem da gestão das condições agudas para gestão das condições crônicas, gestão baseada nos meios para gestão baseada nos resultados e da gestão baseada em opiniões para gestão baseada em evidências”.

Secretário faz palestra sobre saúde mental na ESP-MG
22 de Outubro de 2013 , 17:18

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) realizou ontem (21) o quinto e último evento da série “Encontros ESP-MG 2013 Supervisão Clínica e Institucional em Saúde Mental” com o tema “Supervisão, Clínica e instituição”.

O secretário de estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, ministrou palestra sobre a rede de saúde mental no estado. “Temos a primeira rede de saúde mental reconhecida pelo Ministério da Saúde. É preciso reforçar que as prioridades de saúde mental também devem emanar do quadro epidemiológico”, declara. Segundo o secretário, é necessário perceber o encadeamento da saúde no processo de gestão de governança. “Tivemos três grandes movimentos: a passagem da gestão das condições agudas para gestão das condições crônicas, gestão baseada nos meios para gestão baseada nos resultados e da gestão baseada em opiniões para gestão baseada em evidências”.

Segundo o organizador do evento e vice-diretor da ESP-MG, Augusto Nunes, o objetivo principal do evento foi conquistado. “Curiosamente no último dia fizemos um evento contemplando tanto a questão subjetiva quanto objetiva. Pela manhã, o secretário repassou a construção das redes e retoma várias provocações e desafios e o Francisco Barreto teve a mesma postura em relação aos casos clínicos”, enfatiza.

A coordenadora de saúde mental da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Tanit Sarsur, elogiou o ciclo de debates promovidos pela ESP sobre Supervisão Clínica e Institucional em Saúde Mental. “O evento oportunizou a discussão de temas muito relevantes sobre a saúde mental e que vem de encontro à implantação da Rede de Apoio Psicossocial (RAPS) psicossocial em Minas Gerais”, explica. Para ela, o fechamento deste ciclo com a apresentação do secretário de estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, elucidou importantes conceitos de Redes de Atenção à Saúde, sua organização, desafios e pontos a serem superados. “Além da apresentação desses pontos, houve apresentação de dados epidemiológicos que demandaram a Rede de Atenção Psicossocial – Rede de Saúde Mental como a 5ª rede prioritária de atenção à saúde da SES, e o pioneirismo de Minas em ter a 1ª RAPS reconhecida pelo Ministério da Saúde com financiamento pactuado para implantação dos pontos de atenção até 2014, investimento de aproximadamente 400 milhões de reais”, ressalta.

“Estamos montando uma rede de saúde mental no município e temos trabalho diferenciado com dependente químico. Então queríamos suporte em relação à supervisão e reorganizar a rede. A palestra do secretário Antônio Jorge clareou a percepção da rede”, afirmou a secretária de saúde de Carmópolis de Minas, Maria Célia Andrade. Andrade também destacou a qualidade dos palestrantes durante os encontros. “O nível foi muito bom. Os palestrantes têm a prática além da teoria”.

O papel da ESP-MG é destacado pela referência técnica em saúde mental da SES-MG, Maluanna Guerra. “É importante trazer informações para os profissionais da ponta sobre saúde mental. A ESP-MG é o local para debater a saúde mental e construir e repassar conhecimento aos municípios. A presença do secretário reforça isso”.

O palestrante Francisco Barreto, preceptor da residência da psiquiatria do Instituto Raul Soares por 20 anos e analista membro da Escola Brasileira de Psicanálise, analisou o momento da saúde mental. “Houve um momento em que a internação era o tratamento. Depois, houve evolução do tratamento. O momento atual é melhor do que o passado, mas, para mim, a internação pode ser necessária em determinados momentos”. Para Barreto, é necessário pensar no conceito de saúde mental além dos sintomas. “A saúde mental é definida pelo Código Internacional de Doenças como ausência de transtornos mentais. É preciso ir além no conceito”.

Coordenadora da atenção primária de Santa Bárbara, Sheyla Peron, confirma a aplicabilidade dos conceitos apresentados. “Estamos reorganizando o serviço de saúde mental e esse evento veio ao encontro do que desejamos, principalmente o conceito de rede. É essencial para organizar os serviços em nossa região de saúde”.

A psicóloga e referência técnica em saúde mental do município de Cristiana, Andréa de Souza, demonstra desejo na continuação do “Encontros”. “É um momento histórico da saúde mental.Espero que em 2014, novos eventos como esse ocorram na Escola”.

Nas cinco edições do evento, foram cerca de 500 inscritos de mais de 70 municípios mineiros representando instituições como secretarias municipais de saúde, Centros de Apoio Psicossociais (Caps), Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), além de faculdades e universidades.

Por Leandro Heringer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


× nove = 18