Governo de Minas determina repasse de R$ 4,5 milhões para ação de combate às drogas

O governador Antonio Anastasia determinou, nesta terça-feira (29/10), no Palácio Tiradentes, o repasse de R$ 4,5 milhões para a Obra Social Nossa Senhora da Glória Fazenda da Esperança construir 10 casas de apoio. Essas unidades irão acolher dependentes de álcool e outras drogas e serão construídas em Antônio Carlos, Berizal, Coromandel, Gouveia, Guarará, Itabira, Pouso Alegre, São Gonçalo do Abaeté, Taiobeiras e Teófilo Otoni.

Durante a solenidade, Anastasia destacou a importância das novas vagas a serem implementadas. “Tenho certeza de que essas casas serão de extrema utilidade, não só para os 320 que vão ficar lá, mas para as milhares de pessoas com quem eles se relacionam ou se relacionariam, além dos exemplos que teremos deles para outros tantos e que vão, certamente, se recuperar tendo um exemplo tão positivo. Ao poder público cabe ceder os meios, mas a ação, lá na ponta, precisa, fundamentalmente, da sociedade civil organizada”, afirmou o governador.

As novas casas irão aumentar a capacidade de atendimentos realizados pela instituição para mais 160 pacientes, com idade entre 15 e 55 anos. Atualmente, a Fazenda da Esperança está com 3 mil pessoas em recuperação. Em seus 30 anos de existência, cerca de 20 mil pacientes já foram recuperados.

A contrapartida da Fazenda da Esperança ao convênio com o Estado será a construção de mais 10 casas com o apoio da sociedade e empresários, chegando num total de 20 novas unidades. Essa ação possibilitará a abertura de mais 320 vagas, expandindo o programa de recuperação de dependentes químicos e alcoólatras, desenvolvido pela Fazenda da Esperança, e ampliando a capacidade de acolhimento.

A instituição conta com 63 unidades em 25 estados brasileiros e mais 29 unidades em outros 14 países. Em Minas Gerais, existem seis unidades, com capacidade de atendimento para 110 pessoas, instaladas em Coromandel, Guarará, Itabira, Pouso Alegre, São Gonçalo do Abaeté e Teófilo Otoni.

A Fazenda da Esperança, além de aumentar a capacidade de acolhimento com a construção de novas casas nas seis cidades mineiras que já possuem unidades, irá abrir outras quatro no Estado, nas cidades de Antônio Carlos, Berizal, Gouveia e Taiobeiras.

A Coordenadora de Saúde Mental da Secretária de Estado de Saúde, Tânit Sarsur, ressalta que são 30 anos de fazenda Esperança, uma experiência já consolidada e um histórico de mais de 20.000 atendimentos. “As questões relativas ao uso de drogas são complexas, o fato é que não há uma única instância que possa dar conta de todas as questões que envolvem o uso e a dependência. Neste contexto, com a implantação da rede de atenção psicossocial e a estratégia do cartão Aliança, a fazenda Esperança vem somar esforços junto ao Governo de Minas na atenção e assistência aos usuários de drogas.”

Pároco da Fazenda da Esperança, o franciscano alemão Frei Hans Stapel, disse que graças a esse convênio será possível erguer mais casas e acolher mais jovens. “Sinto que é um passo novo o que o Estado está fazendo. Precisamos compreender que as comunidades terapêuticas, hoje, atendem 80% dos jovens que estão nas drogas. A multidão que ainda está na rua também gostaríamos de acolher. Essas 10 novas casas significam que mais 160 jovens poderão sair das ruas”, destacou.

Para Patrícia Magalhães, ex-recuperanda da Fazenda da Esperança, a alocação de recursos por parte do Governo do Estado é muito importante para salvar vidas. “É de extrema importância a construção dessas casas para dar oportunidade de pessoas que, como eu, já passaram pelo vício da droga e pela dor do abandono de terem a oportunidade de se recuperar e ter uma nova vida. Hoje estar aqui participando como convidada é uma vitória saber que é possível vencer”, disse.

Patrícia fez uso de drogas durante 17 anos. Foi usuária de maconha, cocaína e crack e chegou a morar nas ruas da capital mineira. Hoje, após tratamento, é assessora na Subsecretaria de Políticas sobre Drogas da Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude e se dedica ao trabalho de salvar vidas.

A instituição

A Fazenda da Esperança é uma comunidade terapêutica que abriga jovens dependentes químicos. O trabalho se dá em diversos campos sociais, mas o principal é direcionado aos que desejam se livrar das drogas e do álcool.

A Obra Social Nossa Senhora da Glória Fazenda da Esperança é uma associação civil de direito privado, sem fins econômicos, constituída em 1983, em Guaratinguetá (SP), a partir da iniciativa do jovem paroquiano Nelson Giovanelli, sob a orientação do pároco Frei Hans Stapel, que iniciou uma primeira experiência de acolhimento como proposta de reeducação e recondução aos valores fundamentais da vida, em oposição à cultura de autodestruição que o mundo das drogas fomenta.

Fonte: Jornalismo SES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


− 7 = um