BH recebe evento do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

Ponto alto do Setembro Amarelo vai movimentar Praça da Liberdade em fim de semana prolongado

A Praça da Liberdade, na capital mineira, vai receber a caminhada do Dia mundial de prevenção do suicídio/setembro amarelo no dia 10 de setembro a partir das 09 horas da manhã. O evento é organizado pela Associação Mineira de Psiquiatria (AMP) e pela Faculdade de Medicina da UFMG. Dia 10 de setembro é a  data escolhida para reflexão e prevenção sobre o tema em todo mundo. O evento desse ano contará em parceria com o Exército Brasileiro e com o Centro de Valorização à Vida – CVV.

Setembro Amarelo é uma campanha anual de prevenção ao suicídio que acontece desde 2014. Seu objetivo é alertar a população sobre a realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre sempre no mês de setembro com identificação de locais públicos e privados com a cor amarela e divulgação de informações nos veículos de comunicação e nos novos suportes digitais.

Para o psiquiatra Humberto Correa, vice-presidente da AMP e organizador do evento, a prevenção e discussão sobre o tema são muito importantes para a sociedade. “Números da OMS mostram que no mundo 800 mil pessoas cometem suicídio todo ano e para cada ato concretizado existiram 20 tentativas frustradas”, explica. Os números no Brasil e no mundo revelam que a preocupação sobre o tema não é exagerada.

Ainda segundo Humberto Correa “à primeira vista, os homens são os mais afetados pela morte voluntária, mas não é bem assim. Embora o índice masculino global seja duas vezes maior, as mulheres tentam em maior quantidade”, analisa. E aponta “os métodos utilizados pelos homens são mais letais com armas de fogo e enforcamentos, o que impacta diretamente os números”. Portanto, é preciso cautela ao tratar desse tipo de informação.

O Brasil é o oitavo país com o maior número de suicídios. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de trinta e dois brasileiros morrem diariamente vítimas de suicídio. Os dados são ainda mais alarmantes em relação aos jovens. O suicídio mata mais pessoas entre 15 e 29 anos do que o HIV em todo o mundo.

Ainda segundo a OMS, uma pessoa, a cada 40 segundos, comete suicídio o que equivale a 1,4% dos óbitos totais. A região que apresenta os índices mais altos é o Sudeste Asiático, com 17,1 suicídios por 100 mil, seguido pela Europa, que chega a 13,8 por 100 mil. Quando avaliamos a taxa dos países africanos, que é de 7 a cada 100 mil, ou das Américas, 8,9 por 100 mil, fica evidente que há distorções associadas à subnotificações. 

Além do CVV, da Faculdade de Medicina da UFMG e do Exército, o evento ainda contará com o apoio da Associação Médica Brasileira, da  Associação Médica de Minas Gerais, da Associação Brasileira de Psiquiatria, do Conselho Federal de Medicina, da Federação Nacional do Médicos e do  Projeto V.I.D.A.S e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


7 − quatro =