AMP promove seu primeiro debate eleitoral

Mais uma vez a Associação Mineira de Psiquiatria (AMP) inovou. Dia 04 de novembro a entidade realizou o primeiro debate eleitoral de sua história. Com o tema “Propostas para melhoria do Serviço Mental de BH e o Fechamento do Hospital Galba Velloso”, o evento reuniu durante uma hora e meia, cinco candidatos à prefeitura da capital. Políticos de diversas tendências se debruçaram sobre o tema e reafirmaram o compromisso com a melhoria do serviço público de saúde mental.

Na abertura, o presidente da AMP, o psiquiatra Humberto Correa  lembrou em sua fala que a depressão é uma das doenças que mais matam em todo mundo. Ele explicou a importância de novos investimentos para a saúde mental e que dos 10 mil moradores de rua da capital, a maioria tem problemas psíquicos. Correa ainda alertou sobre o grande aumento do uso de álcool e outras drogas durante a pandemia da Covid-19 e que em breve as consequências surgirão. E lança uma pergunta : “Estamos preparados para isso?”

Logo após a abertura, a psiquiatra Dagmar Fátima de Abreu fez uma apresentação sobre o Hospital Galba Velloso. Ela lembrou que a instituição tinha ocupação média de 85% a 90%  e que dispunha de equipe completa para os pacientes. Entre outras capacidades, o hospital atendia casos de urgência e pessoas com comorbidades variadas. O Galba Velloso atendia todo o estado e para que fossem humanizados, os tratamentos eram assistidos pelas famílias com visitas diárias. Os pacientes do interior quando voltavam para suas cidades tinham acompanhamento feito pela instituição, que também contava com um serviço permanente de ouvidoria.

Para Dagmar todo o estado vai sentir os reflexos do fechamento do Galba Velloso,  referência em saúde mental. “O aumento do sofrimento de pacientes e familiares será sentido e a decisão da instituição não atender mais pacientes com doenças mentais vai sobrecarregar outros hospitais”, revela. Para ela, “este é o momento de repensar, refletir sobre o sofrimento dos moradores de rua, da população carcerária e de tantos outros que necessitam de um hospital psiquiátrico”.

Logo após a fala de Dagma,  iniciaram as perguntas que foram sorteadas para cada participante presente.  Todos os candidatos reiteraram a importância e urgência de maiores investimentos à saúde mental e a responsabilidade que os governos têm em relação a isso. Também foi unânime que o atual governo de Minas é o culpado pelo fechamento dos serviços de saúde mental abrupto e imprudente do Hospital Galba Velloso. A pluralidade de opiniões ressaltou ainda mais a importância do debate e do protagonismo que a AMP tem tido nos últimos anos. O papel da entidade é referencia nacional na vanguarda em suas ações e estratégias para a melhoria da qualidade de vida de nossa população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


um + = 8