Chapa 2 – Clínica Compartilhada (Programa)

Clinica Compartilhada é você na AMP

Respeitamos a diversidade de pensamentos e acreditamos que algo singular nos une: a boa prática clínica, o compromisso social e a ética.

Acreditamos que a AMP deve se constituir num regulador ético de múltiplos interesses. Diferenças legítimas movem corações e mentes. Renovados estaremos aptos à boa gestão de ideias e de recursos.

Propomos:

– Construir a AMP de todos os psiquiatras, capaz de se posicionar e se expressar politicamente, fazendo laços com a sociedade, em parceria com o movimento médico e dialogando com as demais profissões;

– Organizar um Conselho Cientifico ampliado composto de professores universitários, preceptores de psiquiatria e representantes de serviços para pensarmos o ensino da psiquiatria e os projetos de educação continuada e de divulgação das novidades da ciência;

– Propor a organização em departamentos e seções (áreas de atuação e desenvolvimentos temáticos) de interesse dos associados e que tenham pertinência prática e científica;

– Desenvolver projetos de educação a distancia e supervisão clinica através de recursos de telemedicina;

– Repensar a organização científica do Congresso Mineiro de Psiquiatria de modo a garantir sua vitalidade, desenvolvimentos pertinentes a clinica e qualidade científica;

– Criar linhas editoriais para as publicações da AMP, voltadas para alunos de graduação, especialização e pós-graduação e, ainda, para o público leigo.

– Garantir a defesa profissional através da qualificação do exercício da psiquiatria;

-Lutar por mais bolsas e vagas de residência médica, por condições de trabalho adequadas e pelo reconhecimento sócio- profissional do saber específico da psiquiatria;

-Monitorar as relações contratuais de modo integrado com outras instituições médicas e defender um plano de carreira para os médicos nos serviços públicos.

– Discutir amplamente as políticas de saúde mental publica e defender a necessidade de: ampliação da urgência articulada com a medicina em geral e especializada, ambulatórios secundários especializados e temáticos, internação para situações complexas ou de risco em hospitais gerais ou psiquiátricos especializados, bem equipados de recursos humanos e materiais e integrados com a sociedade;

– Defender a obrigatoriedade de inclusão de psiquiatras nas equipes multiprofissionais de saúde mental;

– Garantir a independência partidária e a liberdade de expressão da AMP;

– Fazer-se representar no âmbito dos órgãos colegiados públicos e nas instâncias de representação médica;

– Formular parecer sobre matérias que dizem respeito ao campo da psiquiatria, divulgando amplamente as posições da AMP;

– Estabelecer diálogo eficaz com a Secretaria Estadual de Saúde de MG e parceria com a sociedade na construção de políticas assistenciais;

– Estabelecer diálogo eficaz com a ABP contribuindo com sua democratização e cooperando com estratégias de ação nacionalmente construídas, sem perder autonomia e critica;

– Defender salário digno para os psiquiatras, em todos os níveis de atenção;

– Incentivar a ampla inserção de psiquiatras no mercado de trabalho em diversas áreas da prática clínica, do ensino, da pesquisa, do planejamento e da gestão;

– Incentivar e divulgar expressões artísticas que tratem do tema da saúde mental (ex. exposições, festivais em eventos científicos), assim como produções artísticas dos psiquiatras e dos portadores de doenças mentais;

– Desenvolver modelo de gestão eficiente, voltado para resultados concretos e pactuados, sem personalismos;

– Planificar recursos, processos e avaliar resultados do desempenho institucional, definindo indicadores de eficiência, eficácia e efetividade, para os quais serão estabelecidas metas claras a serem atingidas.

– Organizar campanhas públicas que possam difundir informações fidedignas de interesse da especialidade e da população, posições políticas da AMP e da atuação dos psiquiatras;

– Desenvolver parcerias interinstitucionais e intersetoriais que garantam a verdadeira participação da AMP na vida social.

Associação Mineira de Psiquiatria

CHAPA Clinica compartilhada – TRIÊNIO 2015/2017

Presidente: Hélio Lauar de Barros – CRMMG 17790
Medicia UFMG -1984
Psiquiatra pelo IRS – FHEMIG, com TEP ABP
Mestre Em Psicologia UFMG
Professor PUC Minas 87/2012
Preceptor da Residencia de Psiquiatria HC UFMG 90/96
Preceptor da Residencia de Psiquiatria IRS FHEMIG dede 1996
Preceptor da Residencia de Psiquiatria Forense IRS FHEMIG dede 2005
Coordenador de Saude Mental do DMS/BH 99/96
Presidente AMP 91/96
2º. Tesoureiro ABP 2007/2010
e-mail: heliolauar@gmail.com

Vice-Presidente: Helian Nunes de Oliveira – CRMMG nº 28.806
Psiquiatra pelo IPSEMG
Professor na Faculdade de Medicina da UFMG, doutor em saúde publica, pós-doutorado em saúde coletiva.
Diretor Técnico do Instituto Raul Soares – FHEMIG (2009-2012)
Preceptor da Residência de Psiquiatria do Instituto Raul Soares – FHEMIG (2004-2015)
Psiquiatra e coordenador de promoção da saúde no IPSEMG (2004-2015).
e-mail: heliannunes@gmail.com

Secretário Geral: Cláudio Costa – CRMMG nº 9.426
Psiquiatra. Psiquiatra da Infância e Adolescência. Ex-preceptor-chefe da Residência de Psiquiatria da Infância – Fhemig. Psicoterapeuta
e-mail: clcosta.costa@gmail.com

1º. Secretário:
Glauco Gomes de Arantes – CRMMG nº 28.229
Ex-presidente da Associação Medica de Caratinga (federada da AMB/AMMG).
Ex-docente de psiquiatria e saúde mental dos cursos de medicina, fisioterapia, fonoaudiologia enfermagem, psicologia e nutrição do Centro Universitário de Caratinga.
Ex-coordenador do curso de medicina do Centro Universitário de Caratinga.
Fundador do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Micro-Regiao de Caratinga.
e-mail: glaucoarantes@hotmail.com

Tesoureiro Geral:
Júlio César Menezes Vieira – CRMMG nº 43.926
Psiquiatra/ Psicogeriatra ABP/AMP
Geriatra SBGG/AMP
Corpo Clinico e de Neuromodulação do HEAL
e-mail: jcmvieira@yahoo.com

1º Tesoureiro:
Sandra Lúcia Pinto Ribeiro – CRMMG nº 20.926
Psiquiatria pelo IPSEMG
Psiquiatra da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
e-mail: sandralpribeiro@gmail.com
“A Associação Mineira de Psiquiatria (AMP) é o lugar de todos os psiquiatras. Devemnos acolher as diferenças próprias da nossa formação e construir possibilidades de compartilhar a clínica. Críticos das novidades científicas e das exigências do mercado, faremos a política da ética. Devemos resistir às propostas que pensam que educar é domesticar. Nosso compromisso é com uma psiquiatria que sabe dialogar com múltiplos interesses e chegar onde o psiquiatra está!”.
Hélio Lauar, candidato a presidente da AMP

“Uma Associação para quem gosta de psiquiatria! Para quem gosta de clinicar, ensinar, pesquisar e trabalhar em instituiçoes”
Helian Nunes – Vice Presidente AMP

“Queremos uma Associação capaz de construir diálogos!
Devemos ter uma especial atenção à Psiquiatria da Infância e da Adolescência. Nosso país é muito jovem e temos uma grande população desassistida, porque não temos ainda Psiquiatras capazes de atuar nesta área e nem políticas públicas que contemplem esta demanda! Precisamos nos organizar! Vamos compartilhar nossas dificuldades e encontrar soluções”.
Cláudio Costa – Cadidato a Secretario Geral AMP

“A AMP volta a contar com alguem do INTERIOR na chapa!
Queremos levar adiante projetos de telemedicina para encurtar e facilitar contatos.”
Glauco Gomes Arantes – candidato Secretário Adjunto

“Somos contra qualquer tipo de preconceito. Divisões falsas convertem diferenças em rivalidades, para criarem manobras de poder. Queremos Psiquiatras que convivam com diferenças e negociem o valor do seu trabalho social.”
Júlio César Vieira – candidato Tesoureiro Geral AMP

“O trabalho psiquiátrico no serviço público deve ser defendido sem guerra, mas com diplomacia inteligente e eficaz. Basta de guerra, queremos política e empoderamento dos psiquiatras!”
Sandra Lúcia Pinto Ribeiro – Candidata Tesoureira Adjunta AMP

Presidentes da AMP apoiam a Chapa Clinica Compartilhada

Nós, Psiquiatras signatários desta mensagem, temos participado efetivamente da Associação Mineira de Psiquiatria, desde sua fundação, há quarenta anos.
Como Ex-Presidentes da Associação Mineira de Psiquiatria reconhecemos o trabalho de liderança de nosso colega Hélio Lauar, que sempre trabalhou pela inscrição e reconhecimento nacional da AMP, inclusive como um dos principais responsáveis pela articulação e organização dos dois Congressos Brasileiros de Psiquiatria ocorridos em Belo Horizonte, e que foram responsáveis pelo reconhecimento cientifico e autonomia economico financeira da AMP, até hoje.
Este trabalho construído nos sinaliza que Lauar e seu grupo são a opção certa para resgatar nossa Associação, tão esvaziada nos últimos anos. Os números não mentem: das cinco centenas de sócios conquistados ao longo dos anos, apenas cento e cinquenta se mantém quites.
Convocamos todos os colegas Psiquiatras a construir com a Chapa Clinica Compartilhada, uma AMP participativa e atuante.

Jorge Paprocki – Presidente AMP 1965/1967
Francisco Paes Barreto – Presidente AMP 1971
Javert Rodrigues – Presidente AMP 1973/1975
Gilda Paoliello – Presidente AMP 1997/2002
Maria Cristina de Oliveira Contigli – Presidente AMP 2003/2005
Sandra Carvalhais – Presidente AMP 2010/2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


1 × = sete