II Congresso Norte-mineiro de Neurociência esquenta a psiquiatria em Montes Claros

Mais de 20 palestras e conferências reúnem cerca de 400 inscritos com temas importantes para o setor no norte do Estado

Montes Claros acolheu, nos dias 2 e 3 de junho, o II Congresso Norte-mineiro de Neurociências.  Com cerca de 400 participantes inscritos, o evento teve como objetivo explorar a interface entre o conhecimento do corpo e da mente. Como na primeira edição, esse ano o congresso teve a participação de acadêmicos das três faculdades de medicina de Montes Claros: FIP-MOC, FUNORTE e UNIMONTES.  O evento, em sua abertura, contou com a presença da secretária municipal de saúde, Dulce Pimenta Gonçalves, do presidente da Associação Mineira de Psiquiatria, Maurício Leão e o vice-reitor da UNIMONTES, professor João Felício Rodrigues Neto.

Um dos pontos altos do II Congresso Norte-mineiro de Neurociências foi a palestra do psiquiatra Frederico Garcia sobre a Farmacologia Antipsicótica. Para ele, o evento superou as expectativas em vários sentidos, principalmente na disseminação do conhecimento. “Montes Claros é um pólo regional em vários sentidos e esse congresso foi mais uma prova disso”. Em sua palestra, Frederico Garcia descreveu, entre outras coisas, as características e a utilização da Ocitocina. Outros pontos relevantes dos dois dias do evento foram a palestra do psiquiatra Rodrigo Ferreira sobre Psiquiatria de Ligação e o Mini-Curso de Psicofarmacologia.

Para o coordenador do evento, Pedro Paulo Narciso Avelar, a relevância do evento passa pela participação “de vários psiquiatras de Montes Claros e região, que participaram ativamente, fazendo perguntas principalmente no Mini-Curso de Psicofármacos”.

Com mais de duas dezenas de palestras e conferências o congresso superou todas as expectativas dos organizadores. Ainda segundo Pedro Paulo, a importância dessa edição é o que ela deixa para a região.  “O II Congresso Norte-mineiro de Neurociências deixa um legado muito prolífico, de intercâmbio de ideias, experiências e um incentivo para que se busque sempre o aperfeiçoamento do conhecimento para levar saúde às pessoas da região”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


3 × = dezoito