Simpósio sobre suicídio lota sala da Faculdade de Medicina da UFMG

Evento em parceria com AMP recebe estudantes e profissionais com duração de  mais de quatro horas 

 

Aconteceu na segunda-feira, dia 11 de setembro, o III Simpósio de Prevenção do Suicídio da Faculdade de Medicina da UFMG. O evento faz parte da programação do Setembro Amarelo que é uma  parceria entre a Associação Mineira de Psiquiatria, a UFMG, o Centro de Valorização da Vida (CVV), o Exército Brasileiro, a Assembléia Legislativa de Minas Gerais, dentre outras instituições. Durante todo o mês de setembro, Belo Horizonte vai receber eventos que tratam o tema com palestras, encontros e debates. Alguns símbolos da cidade também receberão a luz amarela para lembrar a população para a importância do tema.

O simpósio teve a presença de pelo menos duas centenas de pessoas que lotaram a sala, onde estudantes e profissionais puderam discutir e refletir vários aspectos sobre suicídio. Para o psiquiatra Humberto Correa a ideia de organizar o encontro “faz parte de uma série de atividades que estão se desenvolvendo no mês de setembro de sensibilização à questão do suicídio” Para ele, o tema ainda sofre restrições com alguns tabus e a sociedade precisa conhecê-lo mais profundamente. “O suicídio é um assunto de saúde pública altamente negligenciado e a ideia é sensibilizar e educar as pessoas quanto a essa questão”, afirma.

Para abrir o evento Luciene Rocha fez uma análise do perfil epidemiológico dos pacientes que deram entrada no João XXIII por motivo de tentativa de suicídio. Em sua fala o público pode ter contato com a realidade de um dos principais pronto-socorros do Brasil e como ele é procurado em situações de tentativa e de suicídio. Logo após Luciana Santos falou sobre as “Trajetórias terapêuticas do paciente que tentou suicídio”, seguida de debate que sobre os temas anteriores com participação do público. Passando essa fase inicial, Vivian Zicker apresentou o Projeto GAES-UFMG  desenvolvido pelo Grupo de enlutados por suicídio da UFMG e para fechar esse bloco o representante da CVV Lucas Silva apresentou os trabalhos da entidade.

Um dos pontos altos do simpósio foi a apresentação do tema “Suicídio em Estudantes de Medicina” realizado pela psiquiatra Christiane Ribeiro. Ela alerta sobre a preocupação com as sub-notificações dos casos de tentativa e de suicídio entre os alunos de medicina. “Esse é um tema muito estigmatizado, Não há estatísticas, mas os casos de suicídio nos cursos de medicina tem ocorrido de forma alarmante”, afirma.  Christiane aponta ainda que “houve uma notícia recente da USP de várias tentativas de suicídio entre os estudantes de medicina, o que chamou muita atenção”.

No último bloco houve abertura com representantes da Associação Mineira de Psiquiatria,  do CVV, do Exército Brasileiro e da Faculdade de Medicina da UFMG e logo depois Gabriela Marques, Cleo Coelho, Mateus Veras e Adriana Scudeller apresentaram o Projeto V.I.D.A.S – Veículo Inspirador de amanhãs solidários. Para fechar Cínthia Demaria (Tea With Me) e Nadia Laguárdia (UFMG) falaram sobre Juventude, Identificação e Cultura Digital e lançaram a campanha #13motivospelavida. Elas foram seguidas por Mailla Castro que falou sobre  “Suicídio no Hospital Geral” que encerrou o simpósio que se estendeu por mais de quatro horas.


21544142_1122378071228206_5985311528466872097_o
21544162_1122380421227971_576619920359121470_o

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


quatro + 5 =