AMP perde seu vice-presidente no começo do ano

A AMP foi surpreendida no final de janeiro com a triste notícia do falecimento do psiquiatra Jésus Almeida Fernandes. O nosso vice-presidente faleceu no Hospital Madre Teresa, na madrugada do dia 24/01 em Belo Horizonte. Estando em seu segundo mandato, Jésus era um animado participante das reuniões da diretoria da AMP e dos eventos da entidade. Com 69 anos, ele sempre esteve ligado aos temas da psiquiatria no âmbito estadual e nacional.

Para o presidente da AMP, Humberto Correa, “Jésus era um exemplo de força dentro da entidade. Ele sempre estava presente e apoiava nossas iniciativas”. Segundo Correa, Jésus era um companheiro de todas as horas, sempre preocupado com a psiquiatria. Tomando posse em 2018 como vice-presidente da AMP, ele se reelegeu em janeiro deste ano para um novo mandato que iria até o final de 2023.

Natural de Coronel Murta no Vale do Jequitinhonha, Jésus formou-se na Faculdade de Medicina da UFMG. Além de trabalhar no Instituto Raul Soares, ele também foi médico de interconsulta psiquiátrica e médico preceptor acadêmico do Hospital João XXIII e diretor da FHEMIG entre 2000 e 2001. Jésus foi diretor e vice-presidente do Sindicato dos Médicos por dois mandatos e vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos também por dois mandatos. Conselheiro e vice-presidente do CRM-MG por três vezes e vice-presidente da Associação Médica Brasileira por outras duas. Durante sua formação, Jésus foi presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Medicina da UFMG de 1978 até 1981. No dia 12 de março de 2018, Jésus Fernandes recebeu da Câmara Municipal de Belo Horizonte o título de Cidadão Honorário da capital.

Para a psiquiatra Marília Brandão Lemos, membro da atual diretoria da AMP, “muito se poderia dizer sobre o nosso querido colega Dr. Jésus. Nesse tempo de convivência com ele na diretoria da Associação Mineira de Psiquiatria, fui marcada e contagiada por sua força, combatividade em relação aos seus ideais, profissionalismo, ética, mesclados com alegria, bom humor, companheirismo e afetividade”. Segundo o psiquiatra Paulo Roberto Repsold, Jésus foi “um determinado e incansável lutador em defesa do médico e da medicina, e um amigo, sempre companheiro e leal até o fim. A morte do Jésus é uma perda irreparável para todos nós. Fará uma falta incalculável para a categoria médica”.

Além da esposa, a pediatra e secretária-geral da Associação Médica de Minas Gerais Regina Eto, Jesus deixa filhos.

Depoimentos

Colin Parkes definiu luto como sendo ‘o preço do amor’. Eu complementaria observando que, somente na ausência, podemos avaliar o quanto valorizávamos a presença daquele que se foi. Ainda estou aturdida com sua ausência, amigo querido, agravada pela impossibilidade dos abraços solidários (senti muito, Regina), com a troca de apoio e lembranças singulares. Segue em paz, Jésus. Vai agora fazer diferença em outras paragens, com suas histórias  recheadas da autenticidade, afetos e a cumplicidade que sempre dividiu com os que tinham o privilégio da sua amizade. Sigo na certeza de que ‘qualquer dia ,amigo, a gente vai se encontrar.

Kátia Pegos – Psiquiatra

A tragédia do Covid levou um dos nossos colegas mais aguerridos, dedicados e cheios de vida. Descanse em paz, companheiro. Lutou o bom combate.

Rodrigo Huguet – Psiquiatra e membro da diretoria da AMP

Jésus, um determinado e incansável lutador em defesa do médico e da medicina, e um amigo, sempre companheiro e leal até o fim. Uma perda irreparável para todos nós. Fará uma falta incalculável para a categoria médica.

Paulo Roberto Repsold – Psiquiatra

Muito se poderia dizer sobre o nosso querido colega Dr. Jésus. Nesse tempo de convivência com ele na diretoria da Associação Mineira de Psiquiatria, fui marcada e contagiada por sua força, combatividade em relação aos seus ideais, profissionalismo, ética, mesclados com alegria, bom humor, companheirismo e afetividade. Sentiremos saudades e sua ausência deixará um vazio na psiquiatra brasileira e em nossos corações. Nosso pesar à Dra. Regina, filhos e familiares.

Marília Brandão Lemos de Morais Kallas – Psiquiatra e membro da diretoria da AMP

Jésus Almeida Fernandes, amigo de todas as horas. Médico idealista, inteligente, trabalhador, defensor incansável das causas médicas e sociais. Faleceu sem ter das entidades médicas o reconhecimento merecido por sua dedicação a elas e à categoria.

Maurício Leão – Ex-presidente da AMP

Jésus era um exemplo de força dentro da entidade. Ele sempre estava presente e apoiava nossas iniciativas. Jésus era um companheiro de todas as horas, sempre preocupado com a psiquiatria.

Humberto Correa – Presidente da AMP

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


dois × = 2