Empatia e a fenomenologia do suicídio como forma de prevenção ao autoextermínio

No segundo dia de atividades da XXII Jornada Mineira de Psiquiatria um dos pontos altos foi a conferência FURTHER UNDERSTANDING OF THE PHENOMENOLOGY OF SUICIDE ministrada pelo psiquiatra italiano Maurizio Pompili. A conferência também faz parte da grade de programação do IX Congresso latino-americano de Prevenção do Suicídio – online que acontece dentro da jornada mineira de psiquiatria.

Com intenção de explicar um pouco da fenomenologia do suicídio, Maurizio Pompili falou dos comportamentos semelhantes entre suicidas e também entre pessoas que tentaram cometê-lo. Ele explicou que a relação do “eu” e do “outro” no caso do suicida é fragmentada, sendo esta uma das razões pelas quais alguns pacientes afirmam que os terapeutas os odeiam.

Pompili relatou os quatro aspectos do processo suicida que se inicia com a sobrecarga da dor mental. Em uma fase seguinte o indivíduo tenta resolver a crise, mas acaba percebendo que não consegue e a opção tende a passar pelo suicídio. A terceira fase se caracteriza pela falta de controle do indivíduo e sua desintegração e a última etapa ele está pronto para suicidar e entende que a morte vai salvá-lo.

Dessa forma e aprofundando o estudo dessas fases do processo que acomete o suicida, Maurizio Pompili acredita na empatia como forma de salvá-lo.  Primeiramente a empatia cognitiva e posteriormente a empatia afetiva se completam trazendo ao paciente um resultado bastante positivo e já comprovado.

Maurízio explica que a fenomenologia do suicídio é conhecer por dentro o cérebro do paciente, é investigar a dor e a anedonia desse indivíduo. Para isso se faz necessário entender como é ser suicida que passa necessariamente pela empatia. Para que esse processo ocorra é importante que o médico tenha e use alguns pontos de referência pessoais.

Para Maurízio quando um suicida está em desregulação emocional esse é um momento crucial para entendê-lo. Outro aspecto colocado por ele são como as experiências no início da vida  podem emergir de alguns pontos cérebro  mesmo depois de muito tempo trazendo desregulação mental e sofrimento.

A XXII Jornada Mineira de Psiquiatria continua nos dias 10, 11 e 12 de setembro e conta além do IX Congresso Latino-Americano de Prevenção do Suicídio, com o XII Simpósio de Neromodulação ABEcer, o III Simpósio de Saúde Mental Perinatal e da Mulher da Marcé Society –  Grupo de Língua Portuguesa e o II Simpósio de Saúde Mental da Mulher da UFMG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


oito × = 32